Lendas e Curiosidades

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
O COFRE DE EL CID CAMPEADOR
Não podemos deixar passar despercebida uma lenda que apesar de não estar ligada diretamente ao Caminho de Santiago, está ligada a história de Rodrigo Díaz de Vivar “El Cid Campeador” (1043-1099).

A história seja ela real ou uma lenda, está narrada em um dos primeiro acervos da literatura castelhano, o “Cantar de Mio Cid”, e passou sem variações ao acervo místico popular, tomando como engenhosa uma narração que só nos veio demonstrar as artimanhas empregadas pelos cristãos com os judeus, que só mereceriam ser tratado com os mesmos enganos que eles presumidamente utilizavam com suas vítimas.

Nesse caso, conta-se que Rodrigo Díaz de Vivar, ao ser exilado por ordem de Alfonso VI, se encontrou perante a urgente necessidade de obter fundos com os quais seria necessário pagar a companhia dos trezentos de seus melhores cavaleiros castelhanos que o acompanharia em seu exílio. E, não contando com bens para enfrentar tais gastos, se dirigiu à casa dos judeus burgaleses, aos quais convenceu que lhe adiantassem aqueles valores, deixando em troca um cofre que, segundo assegurou, continha todas as suas jóias. Os judeus aceitaram o trato e, acreditando que obteriam muito mais dinheiro que o solicitado por Cid a eles, se apressaram em adiantar-lhe à quantia pedida. Rodrigo após ter recebido a quantia, saiu imediatamente da cidade com seus homens, e os ingênuos judeus, ao abrir o cofre para comprovar os tesouros que haviam adquiridos, viram que no seu interior não havia mais que pedras sem valor, e que haviam perdido a oportunidade de desfazer o trato.

Cofre de El Cid na Catedral de Burgos

Há versões da lenda que dizem que, Cid ao tentar salvar-se do sujo engano em que estava envolvido, o paladino cristão entregou aos judeus autênticas jóias familiares do mais alto valor, porém o Senhor, querendo castigar a avareza do dois hebreus, se encarregou de convertê-las em pedras, sem que mudasse em nada a vontade ou a intenção do herói castelhano. E acrescenta-se a essa versão que, quando Cid regressou por fim a Burgos, foi resgatar as pedras entregues com o produto do despojo obtido dos mouros, e então as pedras voltaram a se transformar milagrosamente no autêntico tesouro que havia naquela data depositado nas mãos dos judeus.

O cofre de “El Cid” encontra-se colocado sobre um suporte na parede da Capela de Corpus Christi da Catedral de Burgos.

 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003