Albergue de Peregrinos
Notícias, novidades, artigos, relatos, diretamente da Espanha

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
Viver no caminho
Acácio da Paz

Primeiramente peço desculpas pelos erros ou termos diferentes do nosso idioma português/brasileiro/galego. O mais importante é que por este meio e forma, posso compartilhar a minha descoberta com todo o Universo Galego.

O idioma comum ajudou, no meu caso, para a tomada de decisão de fincar minhas raízes no Caminho de Santiago. Com muito orgulho pude instalar-me aqui, nos 819 Km. do Caminho Francês, falando meu Galego/Português durante 9 anos em que exerci de voluntário-hospitaleiro; e hoje como proprietário de um refúgio de peregrinos, onde moro com minha companheira Italiana Orietta Prendin, que também fala Galego.

Muitos gostariam de viver no Caminho de Santiago.
Como , Por quê?

No caminho desde St. Jean Pied de Port até Fisterra pode-se dizer que se fala Galego; uma língua natal para nós, brasileiros, que facilita e dá oportunidades de fincar âncora no Caminho a qualquer peregrino originário desta nossa lusofonia.

Hoje existem 4 brasileiros que se dedicam ao caminho de Santiago como hospitaleiros fixos; que vivem e usufruem deste mundo fantástico que envolve peregrinos de todo o mundo. Mas ainda há outros voluntários brasileiros que se candidatam para os meses de maior fluxo de peregrinos.

Atendendo aos dados estatísticos fornecidos pela Oficina de Peregrinos, este ano de 2007 foram mais de 5.000 os peregrinos originários de países lusófonos que fizeram o Caminho: 4.001 peregrinos Portugueses e mais os 1.395 Brasileiros. E isto sem contar as próprias pessoas da Galiza. Deste modo, o idioma galego adopta uma posição de privilégio numa Rota Milenar que, assim, empapa da sua verdadeira origem lingüístico-cultural.

O caminho de Santiago é rico pela sua própria originalidade; é o que é. Cada um aqui pode exprimir o que carrega dentro de si e para todos, não importando o idioma, sexo, cor, ou credo, e ajuda a colocar para fora seus verdadeiros sentimentos e cultura.

A cada ano encontro com peregrinos que querem estar mais tempo pelo caminho e fazer dele a sua morada, seu albergue, seu caminho, e muitos perguntam como fazê-lo. Na verdade, não tenho a fórmula de como viver no caminho de Santiago. O importante é que cada um esteja ciente e consciente de que é um caminho sem volta. Depois de tomar esta decisão e começar a compartir a experiência, ela certamente muda a vida de qualquer ser humano. Não pretendo interferir esta grande tomada de decisão, mas apenas me coloco a seu lado para fazer melhor aconselhamento.

Este ano completo meus 9 anos fazendo parte deste percorrido. Humildemente vivo dele e para ele, aprendendo de todas as pessoas, verdadeiros peregrinos universais, que por cá se deixam ver. E me alegro imensamente de ter escolhido esta vida e este lugar, incomensurável fonte de conhecimento.

Entregando-nos podemos todos chegar aonde cada um gostaria de estar, mas é um caminho que necessita ser feito passo a passo. Todos podem estar em um caminho e fazer parte dele. Todos têm os mesmos direitos e todos podem estar aqui ou em qualquer lugar, pois um caminho não tem dono, não tem propriedade, somos livres para fincar nossa âncora em qualquer lugar que nos sentirmos bem.

Como fala meu amigo Paulo Coelho; quando desejamos alguma coisa o Universo conspira a nosso favor.

Estou aqui para facilitar o caminho dos amigos Peregrinos e da família peregrina que tem o desejo de ser um dia voluntário. Não sou o único a fazer isso, estou apenas oferecendo uma parte de mim para todos que gostariam de começar seu caminho, sendo facilitador com algumas informações básicas. Não é a verdade e tampouco um manual de sobrevivência, não é nada que não possam fazer todos. Estou de coração aberto para compartir as experiências do caminho donde hoje posso oferecer um pouco para aqueles que desejam começar outra maneira de caminhar.

Claro que estou aqui graças a muitas pessoas que me ajudaram e ainda me ajudam, e a todos aqueles que chegam em minha vida sempre facilitando meus passos e minhas etapas. Sem estas pessoas eu não poderia manter-me por tanto tempo, e a cada dia tenho a surpresa de conhecer mais e mais peregrinos que ajudam a fazer de meu dia mais alegre e mais feliz. Estes anjos do caminho; como chamamos, são o maior presente que o caminho oferece a cada um de quem vivemos nesta ruta. O aqui e agora é real, o universo conspira e fala com todos que abrem seu coração e a vontade chega para os momentos de mais necessidade.
 
Obrigado caminho , obrigado peregin@s do caminho, obrigado a todos que fazem parte de mim, que em cada passo dado chegam para unir todos os seres deste planeta que na realidade SOMOS UM SÓ, SOMOS TODOS PARENTES.

Todos podem, todos sabem e todos merecem estar aqui.

Acácio da Paz
(Peregrino do caminho de Santiago).
e.mail: acaciopaz@hotmail.com

Enviado por Acácio da Paz
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003